8 de dezembro de 2010

Os pontos básicos do tricô


No tricô, existem apenas dois tipos de pontos: o ponto meia (ou ponto do direito) e o ponto tricô (ou ponto do avesso). Quem souber fazê-los saberá executar todos os trabalhos, por mais difíceis que sejam.

Ponto meia

1 Colocar o fio atrás do trabalho.
A agulha direita é introduzida no ponto da agulha esquerda, da frente para trás.






2 Puxar o fio com a agulha direita, para a esquerda








3 Passar o fio através do ponto, deixando-o cair para a agulha direita.







Ponto tricô

1 Coloque o fio na frente do trabalho. Introduza a agulha direita no ponto da agulha esquerda pela frente, da direita para a esquerda.





2 Faça uma laçada ao redor da agulha direita e puxe a agulha fazendo a laçada passar através do ponto.






3 Deixe então escorregar da agulha esquerda o ponto tricotado. Está feito um ponto tricô.



Como tricotar os pontos mais fáceis

O tricô se baseia sobretudo em dois tipos de pontos: ponto meia (ou do direito) e ponto tricô (ou do avesso). Apresentamos em seguida os mais importantes.

1. Cordões de tricô: c
arr. do direito e carr. do avesso em p.m.









2. Ponto meia: carr. do direito em p.m., arr. do avesso em p.t.









3. Ponto de barra 1/1: 1 p.m., 1 p.t.









4. Ponto de barra 2/2: 2 p.m., 2 p.t., anelado mais largo.









5. Variação de ponto de barra 1/1: 1 p.t., 1 p.m. torcido.









6. Ponto de barra 4/2: 4 p.m., 2 p.t.

Significados das abreviaturas para tricô

As instruções de tricô ficariam ex­tremamente longas e complicadas sem a utilização de abreviaturas. Por esse motivo é importante conhecer algumas de­las, das quais indicamos as mais im­portantes:

ag. - agulha
ant.
- anterior
aum.
- aumentar/ aumentado
ay.
- avesso
carr.
- carreira
com.
- começar / começo
dim.
- diminuir/ diminuição
dir.
- direito
lac.
- laçada
lev.
- levantar
p.
- ponto
p.t.
- ponto tricô
p.m.
- ponto meia
p.j. - pontos juntos
rem. - rematar
rep. - repetir
seg. - seguinte
tric. - tricotar
trab. - trabalhar
v. - vez

Um asterisco (*) significa que a par­tir daí devem ser repetidos os dados contidos entre os sinais.

Tricô: Criando os pontos iniciais


O tricô é iniciado com a montagem dos pontos. A forma mais comum é a "montagem cruzada simples". Veja a seguir o passo-a-passo inicial para começar a tricotar.


Montagem cruzada simples


1 Enrolar uma ponta do fio em volta do indicador e passá-lo depois em torno do polegar.




2 Segurar os dois fios e introduzir as duas agulhas de b

aixo para cima através da laçada do polegar.




3 Passar o fio que se encontra ao redor do indicador, da direita para a esquerda, através dessa laçada.





4 Passar o fio pela laçada que se encontra no polegar, deslizar a laçada e voltar a segurá-lo.





5 Apertar bem o primeiro ponto. Assim, a laçada do polegar transforma-se num no elástico.





6 Repetir a partir da figura 2. Todos os pontos são montados procedendo-se do mesmo modo.





Montagem cruzada dupla

Na montagem cruzada dupla, introduzem-se inicialmente as agulhas por trás do fio posterior da laçada do polegar e depois por baixo do da frente, formando a laçada tal como anteriormente.




Montagem simples

Essa forma de montar pontos é utilizada quando se pretende aumentar um trabalho de tricô numa das extremidades. Passa-se o fio em volta do polegar esquerdo, de maneira que aquele que vem do lado da agulha cruze por cima do que se encontra na palma da mão. Introduz-se a agulha de baixo para cima nessa laçada, passa-se por trás do fio traseiro e puxa-se o ponto que se encontra sobre a agulha, deixando deslizar a laçada.

2 de novembro de 2008

Receita: Cachecol Bariloche


Tamanho:
único


Material:
  • 3 novelos de lã;
  • agulha para tricô nº 6
  • agulha para crochê nº 3
Pontos empregados:
  • Barra 2/2: 2 m.; 2 t.; 2 m.
  • Franja em crochê
Amostra:

Um quadrado de 10 cm em ponto meia nas agulhas nº 6: 15 pontos x 21 carreiras

Realização:

Montar 66 pontos na agulha nº 6 e tricotar em barra 2/2. Quando chegar a 150 cm do começo, rematar. Fazer nas duas extremidades franjas em crochê de 15 cm.

Dica:

Usar lã com várias cores.

5 de outubro de 2008

Tipos de lã

Muitas vezes é difícil para uma pessoa, mesmo que experiente, determinar a composição de um fio de tricô, só uma análise de laboratório é que permite indicar a composição exata de um fio. A lã é um dos fios mais utilizados no tricô, por isso é importante conhecer os tipos de lã existentes. Podemos classificar a lã em Fios de Lã e Fios de Lã Especial.
  • Fios de lã: as lã de melhor qualidade são as que são extraídas do carneiro de raça merino, oriundos da Austrália. Aquilo que é conhecido como "lã pura" deve ser composto pelo menos por 95% de lã de ovelhas. As lãs conhecidas por "lã" podem ter uma mistura de aproximadamente 30% de outros materiais e a "lã misturada" deve conter entre 50% e 70% de lã pura.
  • Fios de lã especial: estes fios são confundidos com lã normal, embora sejam provenientes de outros animais. Excetuando a lã mohair, os fios de lã especial são mais caros do que os de lã de ovelha, porém são mais macios e atraentes, embora menos elásticos. Os tipos conhecidos são:
    • A alpaca: lã extraída dos lhamas da América do Sul. A fibra de melhor qualidade é fornecida pela espécie "suri". Trata-se de uma fibra macia, elástica e resistente.
    • O angorá: esta lã é obtida a partir do coelho da França. A lã é leve e macia. Misturada com lã de ovelha, seda, algodão, ela se torna bem resistente. Isola muito bem o frio e é utilizada para gorros, luvas e cachecóis.
    • A caxemira: é fabricada a partir do pêlo de cabra asiática. É uma lã muito cara, é muito macia e quando fiada com outras fibras confere maciez e calor.
    • O mohair: é obtida a partir da ovelha-angorá. A variedade mais valiosa é a que se compõe de fibras de machos jovens. O mohair é uma das fibras mais empregadas na fabricação de fios para tricô.
    • A vicunha: é a lã mais preciosa do mundo e por isso a mais cara. É empregada apenas em trabalhos delicados. É extraída da vicunha, animal existente na América do Sul pertencente à família do lhama.

Os fios para tricô

É possível fazer tricô com qualquer tipo de fio, inclusive com ráfia ou fitas. A escolha dos fios depende apenas do trabalho que deseja fazer. Naturalmente, para uma blusa de verão, você irá utilizar fios diferentes do que usaria para fazer um casaco de frio.

Para confecção de um casaco resistent, o material mais apropriado é lã pura de ovelha, para um cachecol elegante, a finura da lã mohair e para roupinhas de bebê, as lãs delicadas, especialmente fabricadas para este fim. Assim, quando for escolher a lã, deve-se ter sempre em mente a peça que irá produzir.

A espessura dos fios

A proteção contra o frio fornecida por uma peça depende de como o fio foi fiado e depois tricotado. Geralmente uma lã grossa muito torcida e trabalhada num ponto apertado não protege tão bem do frio quanto uma lã mais leve e felpuda tricotada num ponto mais solto. As seguintes características ajudam a empregar melhor os fios nas determinadas peças:
  • Fios muito finos: são apropriados para roupas de crianças, cachecóis, meias, luvas e todos os tipos de tricô rendados e trabalhados com agulhas finas.
  • Fios médios: são utilizados em todos os casos em que não seja indicado empregar lãs finas ou grossas. Eles são preferidos para agasalhos, pulôveres, meias, luvas, cachecóis e outras peças para adultos. As lãs desse tipo geralmente são constituídas por três fios e são também as que apresentam maior variedades de cores e texturas.
  • Fios para trajes esportivos: são penteados. Para esse tipo de roupas (casacos, meias e pulôveres), geralmente necessita-se de fibras mais resistentes.
  • Fios grossos: esta lã, torcida com quatro ou mais fios, é do tipo penteado. É usada para confecção de roupas mais quentes (saias, vestidos e casacos).
  • Fios muito grossos: são apropriados para a confecção de roupas utilizadas nos esportes de inverno ou épocas muito frias. Freqüentemente, trata-se de fios pouco torcidos ou de fios de fantasia com aspecto irregular, embora às vezes possam ser muito torcidos.
  • Fior de lã mohair: são particularmente leves e elegantes, sendo fabricados com mais variadas misturas e aspectos os mais variados.
Quando for comprar as lãs, fique atento a sua capacidade ou não de desfiar, desbotar ou encolher. O valor da lã varia dependendo do tipo de tingimento empregado.

O tricô

O tricô é uma técnica para entrelaçar o fio, geralmente lã, de forma organizada, criando-se assim um pano que tem características de textura e elasticidade e é chamado de malha de tricô ou simplesmente tricô.

O tricô é atividade manual bastante conhecida e uma das mais preferidas, pois sua aprendizagem é rápida, o material é fácil de encontrar e, além disso, o tricô é um passatempo maravilho, pois você consegue executá-lo em vários lugares, como na espera do ônibus, assistindo TV, na espera da consulta médica, durante uma conversa, entre outros. O tricô também pode ser feito através de uma máquina, no entanto a atividade não é tão prazerosa quanto a manual.

O resultado obtido no tricô tem sempre uma aplicação prática, pois com ele é possível fazer desde simples sapatinhos de bebê até uma maravilhosa colcha para a cama, além de diversas peças de roupa, como casacos, blusas, saias, vestidos, coletes, mantas, meias, luvas, cachecol ou peças para casa, como jogo americano, tapetes, toalhas de mesa, ou seja, tudo o que a imaginação permitir.

Geralmente, tricotar é uma atividade preferida pelas mulheres, no entanto no passado ela teve outras características. No século XVI, tricotar era um trabalho masculino. Nesta época, um artesão profissional passava seis anos aprendendo a técnica. No final, o artsão era obrigado a apresentar as provas de sua habilidade: um casaco de lã, um par de meias bem-elaborado e um tapete.

Entretanto, a arte de fazer tricô não tem apenas quinhentos anos, pois a mais antiga peça feita a mão de que se tem conhecimento foi uma meia de criança encontrada num túmulo copta e data do século V d.C.